Índice:

Desenvolvedor Full-stack: Principais Soft Skills e Hard Skills

Índice:

No mercado de trabalho do desenvolvimento, o tipo de profissional mais conhecido é o desenvolvedor full-stack, ele atua como back-end e front-end. A pessoa desenvolvedora back-end é responsável por criar a estrutura de funcionamento de um site ou software, ligando usuários e servidores. Dessa forma, a aplicação cumpre o papel para a qual foi criada.

Já o profissional front-end, por sua vez, cumpre o papel de desenvolver a interface que será utilizada pelos usuários, o ambiente com o qual ele vai interagir diretamente para mandar informações aos servidores.

Sendo assim, podemos entender que os desenvolvedores full-stack, que exercem as duas funções explicadas acima, precisam desenvolver habilidades e obter conhecimentos relacionados às duas áreas para que seu trabalho seja executado da melhor maneira possível.

Para te ajudar a entender melhor quais são estas habilidades e o que você deve desenvolver para se destacar no mercado de tecnologia, elencamos os principais pré-requisitos que um programador full-stack deve dominar. Para saber mais, continue a leitura!

Pré-requisitos: o que você precisa dominar como desenvolvedor full-stack

A partir do que foi introduzido neste conteúdo, você já deve imaginar que quem deseja conquistar um espaço único no mercado de trabalho como desenvolvedor full-stack precisa dominar muito bem os dois universos do desenvolvimento de software: o front-end e o back-end.

No entanto, apenas o conhecimento técnico nestas duas áreas não são o suficiente para garantir que os profissionais consigam encontrar as oportunidades dos sonhos e se posicionem bem no mercado tech.

Ao atuar nas duas pontas da programação, é preciso ser versátil e ter muito jogo de cintura e reunir habilidades que ultrapassam as fronteiras das hard skills. Afinal, somente desta forma um programador full-stack conseguirá demonstrar um bom desempenho em quaisquer setor de uma equipe durante o desenvolvimento de um projeto.

Nos tópicos seguintes, você entenderá os detalhes sobre as habilidades técnicas e comportamentais que devem estar reunidas na bagagem de um talento que atua com desenvolvimento de software.

Hard skills

As hard skills são os conhecimentos técnicos necessários para o desenvolvimento dos softwares. Entre eles, estão as linguagens de programação, conhecimento em algoritmos e banco de dados, por exemplo. Sendo assim, já que o desenvolvedor full stack executa tanto o trabalho de front-end quanto o de back-end, é necessário que ele desenvolva e aprimore as hard skills necessárias para cada um deles.

Entre as hard skills de front-end estão as linguagens de programação HTML, CSS e JavaScript, consideradas básicas para profissionais do segmento. Em relação ao back-end, por outro lado, há inúmeras linguagens de programação voltada a esse tipo de trabalho, como PHP, Java, C#, ASP.NET, Ruby, entre outras.

Além disso, os conhecimentos técnicos de back-end também envolvem bancos de dados, com os quais as pessoas desenvolvedoras da área lidam diariamente. Portanto, conhecimentos em servidores de banco de dados como MySQL, PostgreSQL ou Oracle, dentre outros disponíveis no mercado, são essenciais para o desenvolvedor full stack.

Controle de versão

As ferramentas de controle de versão são utilizadas para acompanhar e analisar as versões de um projeto. É um recurso muito útil para a identificação e correção de bugs e outros problemas, pois permite a comparação dos códigos de cada versão, destacando que partes foram alteradas, excluídas ou adicionadas ao código em cada uma delas. Saber como usá-las é muito importante para qualquer pessoa desenvolvedora, especialmente para o desenvolvedor full stack, que lida tanto com a parte front-end quanto com a back-end de uma aplicação, e precisa identificar eventuais problemas em cada uma delas.

A ferramenta de controle de versão mais famosa é o Git, que pode ser usado através da plataforma Github, que conta com inúmeras funcionalidades que ajudam o cotidiano de pessoas desenvolvedoras. Além do Git, o SVN também é uma ferramenta bastante utilizada no mercado.

Programação mobile

Ter conhecimentos relacionados ao desenvolvimento para plataformas mobile têm sido um diferencial no mercado da programação, já que as empresas vêm aderindo cada dia mais ao uso de aplicativos (ou Apps) em dispositivos móveis, que podem facilitar tanto o dia a dia de seus funcionários quanto o de seus clientes. Além disso, como esses aplicativos costumam estar integrados a um recurso back-end, é importante que o desenvolvedor full stack tenha conhecimento em programação mobile para atuar em projetos desse tipo com maior efetividade.

Conhecimento em UX

Já que o desenvolvedor full stack lida tanto com os mecanismos funcionais de um software quanto com a interface dele, com a qual o usuário interage diretamente, é importante que ele possua conhecimentos em UX, ou User Experience (experiência do usuário, em inglês). Tais conhecimentos permitem que a pessoa desenvolvedora crie uma interface eficiente, intuitiva, simples e funcional, capaz de proporcionar ao usuário a maior satisfação possível em sua experiência com a aplicação.

Qualidade de código

Desenvolver um projeto prezando pela qualidade de código é muito importante para qualquer pessoa desenvolvedora. No caso de desenvolvedores full stack, é mais ainda. Um código com qualidade facilita o entendimento do mesmo, bem como a identificação e correção de eventuais problemas. Sendo assim, é importante que o desenvolvedor full stack busque desenvolver um código com a melhor qualidade possível, a fim de integrar as “partes” front end e back end de seu trabalho com maior clareza e facilidade.

Além disso, um código com qualidade proporciona um melhor desempenho da aplicação como um todo, já que faz com que o código “exija” menos da máquina em que está sendo usado. Portanto, a qualidade do código é capaz de interferir no desempenho tanto no âmbito do back-end quanto no do front-end, positiva ou negativamente, razão pela qual é importante que o desenvolvedor full stack trabalhe com a melhor possível.

Soft skills

Essas são as habilidades não relacionadas ao conhecimento técnico da profissão. Ainda que não possuam tal relação, as soft skills influenciam muito no cotidiano de equipes de desenvolvimento. São inúmeras as habilidades consideradas soft skills, e algumas das mais interessantes para um desenvolvedor full stack são: boa comunicação, já que este profissional pode lidar com mais de uma equipe, talvez até ao mesmo tempo, e deve se comunicar bem com colegas; flexibilidade, pois podem haver trocas de função ou equipe, às quais o profissional deve se adaptar; e boa organização, já que terá que lidar com partes de um projeto que são consideravelmente diferentes, o que requer certo cuidado.

Boa comunicação

Mais do que os profissionais que atuam isoladamente no front-end e no back-end, o desenvolvedor full-stack deve prezar por uma boa comunicação e interação com o restante de sua equipe e com outros setores da empresa.  Afinal, por dominar as duas frentes principais na construção de aplicações, esta categoria de programadores funcionará, muitas vezes, como uma ponte entre o lado do cliente e o lado do servidor.

Garantir uma comunicação assertiva e sem ruídos é essencial para o futuro dos projetos e para o alcance dos resultados desejados. Isso porque, qualquer falha na troca de informações pode comprometer, por completo, o desempenho de um produto.

Flexibilidade

Lembra-se do jogo de cintura do qual comentamos anteriormente neste artigo? Então…

A flexibilidade e a facilidade de transitar por entre os setores da programação serão suas principais aliadas na hora de assumir uma oportunidade como desenvolvedor full-stack.

Tenha certeza de que a equipe precisará que este tipo de programador atue em diferentes frentes em um curto período de tempo. Por isso, conseguir “virar as chaves” no cérebro de uma forma ágil é muito importante para acompanhar e oferecer dinâmica ao grupo na construção dos projetos.

Resolução de problemas

Considerada uma das skills mais importantes no atual cenário do desenvolvimento de softwares, a resolução de problemas é uma habilidade que não poderia ficar de fora dessa lista. Um desenvolvedor full-stack precisa, com frequência, mediar possíveis conflitos entre o front-end e o back-end, já que as áreas precisam estar em perfeita sincronia para que tudo saia como esperado.

Ser capaz de pensar e oferecer soluções eficientes a longo prazo com agilidade e dinamismo é uma das principais características de um bom desenvolvedor full-stack. Com esta carta na manga, garantir oportunidades únicas no mercado tech se  torna um pouco mais fácil!

Conclusão

Essas são algumas skills importantes para quem deseja se tornar um desenvolvedor full stack. Porém, independente de que tipo de programação lhe interesse (back-end, front-end ou full stack) ou em que nível você deseje atuar (júnior, pleno ou sênior), lembre-se sempre de estudar muito, de se atualizar sempre e de sempre aprimorar suas habilidades, sejam elas técnicas ou não. Boa sorte em sua vida profissional!

Publicado por:
Compartilhe:

Posts relacionados

métrica developer experience

Entender e otimizar a developer experience é crucial para o sucesso de qualquer projeto de software. Uma experiência positiva pode impulsionar a produtividade e a satisfação da equipe, elementos chave

developer experience

A developer experience, ou DX, é um conceito cada vez mais importante no cenário de desenvolvimento de software. Mas por que a experiência do desenvolvedor é tão importante? Como ela

estimativa de software

Estimar software vai muito além de apenas chutar prazos. É sobre sincronizar de forma inteligente os esforços de desenvolvimento, garantindo que cada recurso seja usado onde realmente importa. Pensando nisso,