Índice:

Tipos de validação em um processo seletivo tech

Índice:

O processo seletivo de um recrutamento é um dos mais importantes dentro da empresa pois ele é a porta de entrada do bem mais precioso da organização: as pessoas.

Portanto, é imprescindível que nesse processo existam validações a serem feitas para identificar se o candidato se encaixa no perfil da vaga e se suas expectativas estão alinhadas com a cultura e missão da empresa, o que conhecemos como fit cultural. Estes itens são responsáveis por tornar a contratação mais assertiva e influenciar em fatores como o nível de satisfação dos colaboradores e a taxa de turnover.

Existem vários tipos de validação a serem feitos em entrevistas. Entre eles, encontramos a validação comportamental, validação técnica, validação de competências e psicológica. Para cada cargo e empresa, há uma necessidade de validação diferente, e as técnicas usadas para extrair essas informações são diversificadas e se atualizam com frequência. 

Nesse artigo, falaremos das duas validações mais comuns nos processos seletivos: a validação comportamental e a validação técnica. 

Validação comportamental

A validação comportamental é a mais tradicional entre as entrevistas de emprego. Estima-se que esse tipo de validação teve seu início na década de 70, quando foi elaborado um modelo de entrevista cujo objetivo era identificar comportamentos passados, presumindo assim que esse comportamento poderia se repetir no futuro e ter interferências positivas ou negativas para o cargo e para a empresa. 

O objetivo de uma avaliação comportamental é identificar por meio de experiências passadas, se o candidato possui ou não as habilidades essenciais para o seu time.

Outro ponto que geralmente é avaliado nesse tipo de validação é o autoconhecimento do candidato, uma vez que o mesmo precisará não apenas relatar as situações que viveu, mas também expor sua visão sobre o assunto, se estava certo ou errado, se melhorou algo após a experiência. 

Validação técnica

Mais conhecida como entrevista técnica, esse tipo de validação é muito comum na área de tecnologia, porém ocorre em processos seletivos de várias funções.

Considerada por muitos como uma etapa imprescindível, o objetivo deste tipo de validação é identificar se o candidato atende aos requisitos técnicos para a vaga através de questionamentos específicos sobre ferramentas e métodos utilizados para exercer a função.

Além disso, pode contar com questões em que o entrevistador propõe uma situação problema para o candidato resolver utilizando os conhecimentos que são essenciais para o cargo. E não é comum, mas algumas entrevistas técnicas podem vir acompanhadas de dinâmicas para fazer a avaliação das skills obrigatórias da vaga. 

Um outro modo de validação técnica é o famoso, e muitas vezes polêmico, teste técnico. Este tipo de avaliação pode ser feita através de um questionário ou pair programming (programação em pares), por exemplo. No entanto, ainda existem muitos processos seletivos que não implementam testes técnicos da maneira correta, fazendo com que desenvolvedores e outros talentos de tecnologia passem grande parte do tempo realizando desafios que, ao final, não avaliam as habilidades essenciais para a rotina de trabalho.

Esteja preparado para um processo seletivo

É fato que em todos os processos seletivos, ao menos uma dessas avaliações serão feitas – na área de tecnologia especificamente, às duas são avaliações obrigatórias. Portanto, é muito importante que o candidato esteja preparado para as entrevistas, por mais que muitas vezes não seja possível saber qual o tipo de avaliação será feita. 

O autoconhecimento e o olhar crítico sobre suas experiências anteriores, analisando todos os pontos positivos e tudo o que pode ser melhorado, também são aliados importantes na hora da preparação para um processo seletivo.

Para saber mais sobre como se preparar para uma entrevista técnica e mandar bem nos processos seletivos de tecnologia, preparamos um conteúdo específico que vai nortear a sua preparação e aumentar as suas chances de ser bem sucedido nas seleções. Você pode conferir o conteúdo na íntegra clicando aqui.

Não deixe as chances passarem. Prepare-se da melhor forma e dê o primeiro passo para conquistar oportunidades incríveis!

Publicado por:
Compartilhe:

Conheça a Kody, sua nova gerente de projetos com IA!

Posts relacionados

Refinamento de backlog, também conhecido como grooming, é uma parte vital do desenvolvimento ágil. Basicamente, trata-se de revisar e priorizar os itens do backlog do produto, garantindo que as histórias

medir deployment frequency

Você já se perguntou quantas vezes sua equipe de desenvolvimento faz deploy de código em produção? A resposta a essa pergunta é conhecida como “deployment frequency” (frequência de deploy). Esse

cultura developer experience

A developer experience (DX) é um fator crucial para a produtividade e satisfação dos desenvolvedores. Uma cultura focada na DX não só melhora a moral da equipe, mas também resulta