Índice:

Como evitar a Dívida Técnica

Índice:

Aqueles que estão desenvolvendo produtos inovadores, principalmente startups e scale-ups com soluções tecnológicas, lidam com um grande dilema: priorizar a qualidade dos softwares ou os prazos. Ao mesmo tempo em que é necessário pensar e estruturar minuciosamente um projeto, os times devem manter a agilidade no desenvolvimento dos códigos e, muitas vezes, conciliar estes dois lados se torna tão complicado, que acaba por gerar a tão temida dívida técnica.

Por que a dívida técnica acontece?

No processo de desenvolvimento de produtos, quando se opta por lançá-los no mercado de forma ágil, muitas vezes a qualidade do código é deixada de lado em detrimento da rapidez. Quando isso acontece, é gerada uma dívida técnica que deverá ser paga no futuro. 

Assim como os juros no cartão de crédito, os ônus acrescidos ao projeto por causa dessa escolha estão relacionados a todo o retrabalho que o time terá para corrigir os problemas do software e implementar novas atualizações e recursos. 

Vale ressaltar que na maioria das vezes, o surgimento de dívidas técnicas não está relacionado à competência das pessoas desenvolvedoras que trabalham na construção dos produtos, mas sim nas tomadas de decisões da forma incorreta. Quando este processo acontece continuamente em uma empresa, é um sinal de alerta para que todos revejam a forma como estão conduzindo e o que estão priorizando nos projetos.

Identificando Sinais de Dívida Técnica

É importante saber identificar sinais de Dívida Técnica em projetos de desenvolvimento de software. Esses sinais são indicativos de que podem existir problemas técnicos subjacentes no código e no processo de desenvolvimento. Reconhecer esses sinais precocemente é fundamental para tomar medidas corretivas antes que os problemas se agravem e causem impactos significativos no projeto.

Alguns indicadores que você deve ficar de olho: 

Atrasos Recorrentes nas Entregas

Um dos indicadores mais evidentes de Dívida Técnica são os atrasos frequentes nas entregas de software. Quando os prazos não são cumpridos repetidamente, isso pode ser um sinal de que o código está se tornando complexo demais para ser mantido ou que há problemas técnicos não resolvidos.

Atrasos nas entregas também podem ocorrer devido a problemas de qualidade no código. Desenvolvedores podem estar gastando mais tempo corrigindo erros do que o previsto, o que impacta o cronograma do projeto. Esses atrasos podem afetar a satisfação do cliente e aumentar os custos de desenvolvimento a longo prazo.

Código Complexo e Difícil de Manter

Outro indicador importante de Dívida Técnica é a complexidade excessiva do código. Quando o código se torna difícil de entender, manter e modificar, isso pode ser um sinal claro de problemas técnicos subjacentes.

A complexidade pode resultar de atalhos no desenvolvimento, como a falta de abstração adequada ou o uso de estruturas de código não padronizadas. À medida que a complexidade aumenta, a probabilidade de introduzir novos erros e a dificuldade de identificá-los também aumenta.

Além disso, código complexo pode tornar a integração de novos recursos mais demorada e propensa a erros, impactando a agilidade do desenvolvimento.

Falta de Documentação ou Documentação Desatualizada

A documentação desempenha um papel crucial na compreensão e manutenção de um software. Quando há falta de documentação ou a documentação existente está desatualizada, isso pode indicar a presença de Dívida Técnica.

A ausência de documentação torna difícil para os membros da equipe entenderem como o software funciona e como as diferentes partes se relacionam. Isso pode resultar em erros durante a manutenção e dificultar a incorporação de novos membros à equipe.

Documentação desatualizada é igualmente problemática. À medida que o software evolui, a documentação deve ser atualizada para refletir as mudanças. Quando isso não acontece, a equipe pode tomar decisões com base em informações obsoletas, o que pode levar a problemas técnicos.

Testes Insuficientes ou Ineficazes

A ausência de testes adequados ou a ineficácia dos testes realizados é um indicador crítico de Dívida Técnica. Testes inadequados podem deixar problemas não detectados até que se tornem críticos.

Testes eficazes são essenciais para garantir que o software funcione conforme o esperado e que as mudanças introduzidas não quebrem funcionalidades existentes. Quando os testes são insuficientes, a equipe corre o risco de liberar código com defeitos, o que pode resultar em retrabalho e custos adicionais.

É importante entender que esses indicadores muitas vezes estão interconectados. Código complexo pode dificultar a escrita de testes eficazes, e a falta de documentação pode impactar a qualidade dos testes. Portanto, é fundamental abordar esses sinais de Dívida Técnica de maneira abrangente.

Como evitar a dívida técnica?

Por mais difícil que pareça ser, é possível mitigar os efeitos das dívidas técnicas nas empresas de tecnologia, de modo a construir códigos com mais qualidade e escalabilidade no mercado. 

Se você está buscando maneiras de evitar que isso aconteça com o seu produto, está no lugar certo. Neste artigo vou te explicar um pouco mais sobre o que você deve fazer para reduzir os impactos negativos dos débitos técnicos em equipes de TI. Confira abaixo!

Invista em testes e padronizações

Testar os códigos sempre que possível é uma das melhores formas de evitar uma dívida técnica, já que o time consegue identificar as falhas nos produtos ainda no desenvolvimento, minimizando os impactos de um código mal escrito e cheio de erros no futuro.

Por mais óbvio que pareça, os testes são aquilo que mostra o desempenho do seu software, lhe dando mais segurança para otimizar os códigos futuramente e também certificando que tudo está funcionando como o esperado. Se tudo não estiver saindo conforme o planejado, os testes podem indicar um caminho para melhorar o desempenho dos produtos. 

Infelizmente, muitos desenvolvedores e lideranças em tecnologia ainda subestimam o poder que os testes têm sobre a qualidade do código, pela pressa em lançar um software no mercado e acabam com uma dívida técnica gigantesca. 

No entanto, uma forma de otimizar o tempo com testes é automatizando tudo o que for possível. Assim, além de mais agilidade, você diminui os riscos de erros através de ferramentas de análise de qualidade de código. Desta forma, os times de tecnologia, até mesmo os que atuam remotamente, estarão menos suscetíveis ao erro e aumentam as chances de entregar um produto de qualidade ao final dos processos. 

Qualidade e agilidade no código

O cenário ideal para evitar que os débitos técnicos apareçam, é tornar tudo mais ágil e ainda assim manter a qualidade. Por isso, não há como deixar este tópico de lado, principalmente quando falamos sobre startups, que precisam de velocidade para conseguir escalar seus produtos. 

Nunca coloque a qualidade e a agilidade uma contra a outra, mas sim andando juntas no seu projeto. Uma maneira de fazer isso acontecer é investindo em algumas melhorias, como:  automatizações de processos, implementação de metodologias ágeis, treinando as suas equipes para que estas observem as falhas precocemente e ajam com máxima rapidez para corrigi-las. 

Quanto mais você demora para desenvolver as melhorias necessárias, mais difícil (e caro) será realizar tudo isso no futuro. E, se tiver que escolher entre economizar tempo ou escrever bons códigos, não pense duas vezes e escolha sempre manter a qualidade. Não tenha tanta pressa para lançar o seu produto pois, quando ele for lançado e superar as expectativas dos usuários e clientes, você conquistará muito mais o seu público. 

Atente-se à sua cultura

Em negócios de tecnologia, deve-se ter em mente que os softwares são a alma de tudo e que débitos técnicos surgem naturalmente, no decorrer dos projetos. Por isso, é importante ter uma cultura de código muito bem consolidada onde o software será o protagonista de todo o seu negócio.

Quando você não trata seus códigos como prioridade, todas as suas estratégias para manter a qualidade no desenvolvimento e evitar dívidas técnicas podem, muito provavelmente, ir por água abaixo. Considerem que os débitos técnicos que aparecem como uma forma de investir no seu produto, para que ele acompanhe as inovações tecnológicas e atenda de fato a necessidade de seus usuários. 

Conclusão

Aplicando estas dicas, fica muito mais fácil evitar e minimizar o débito técnico nos seus projetos e no seu time tech. Tenha sempre em mente que, quando seu time age rápido para solucionar este gap, você não paga todas as dívidas de forma parcelada, fazendo com que elas deixem de ser um grande peso no seu orçamento. Afinal, de gatos parcelados já basta o cartão de crédito, não é mesmo?

Publicado por:
Compartilhe:

Posts relacionados

Métricas e Estimativas de Software

No desenvolvimento ágil, métricas e estimativas de software são fundamentais para medir o desempenho e estimar o tempo necessário para concluir projetos de forma eficiente.Nesse artigo vou trazer um panorama

métricas ágeis

Entender e otimizar a developer experience é crucial para o sucesso de qualquer projeto de software. Uma experiência positiva pode impulsionar a produtividade e a satisfação da equipe, elementos chave

developer experience

A developer experience, ou DX, é um conceito cada vez mais importante no cenário de desenvolvimento de software. Mas por que a experiência do desenvolvedor é tão importante? Como ela